25 de fevereiro de 2008

SKA, UMA BREVE HISTÓRIA (PARTE I)

As Origens

O ritmo ska é uma verdadeira relíquia escondida no circuito alternativo: um tesouro jamaicano preservado nos subterrâneos da música. O ska faz as pessoas dançarem e tem uma atmosfera positiva. Ska é um estilo musical jamaicano que surgiu no princípio dos anos 50. Combinando elementos do calypso e mento com o jazz e o rhythm and blues norte-americano, foi um precursor na Jamaica do rocksteady e mais tarde do reggae.

Músicos como Don Drummond (trombone), ídolo de diversos grandes nomes do jazz americano e Tommy McCook (saxofone) garantiam seu talento animando festas e hotéis da região de Montego Bay (uma das mais prósperas da Jamaica). Com o surgimento dos sounds systems (espécies de discotecas itinerantes, que embalavam os jamaicanos com o melhor do rhythm'n'blues trazido dos EUA), eles decidiram partir para a criação de um ritmo realmente novo.

O novo ritmo embalou a proclamação da independência do país (eles se livraram do jugo inglês em 1962) e formou uma leva de superstars de respeito. Sob a batuta de Drummond e ligados ao Studio One, de Clement "Coxsone" Dodd (um dos primeiros estúdios de gravação a surgir no país), os Skatalites brilharam em composição próprias e gravações ao lado de Bob Marley, Bob Andy e outros.

A banda The Skatalites e artista jamaicano Laurel Aitken foram os dos pioneiros do ska. Laurel foi também responsável pela popularização do bluebeat (como os ingleses denominavam o ska jamaicano). Foi o artista principal do selo de mesmo nome, disputadíssimo por colecionadores de ska e reggae de todo o mundo. Durante os anos 70 flertou com a temática rastafari (em "Rastaman Power"), mas definitivamente se consagrou com um heroi do skinhead reggae (em "Skinhead Train") e da nova geração de rude boys, agora ingleses, durante os anos da 2 Tone Records.

Há teorias diferentes sobre a origem da palavra Ska. O guitarrista Ernest Ranglin disse que a guitarra do offbeat que marca o estilo que ele e outros músicos tocaram foram descritos como o "ska! ska! ska!" Outros acreditam que o Cluet Johnson inventou o termo ska ao explicar o som do "ya-ya" da música. Johnson foi conhecido por cumprimentar seus amigos com a palavra "skavoovie", talvez imitando hipsters americanos da era. Johnson and the Blue Blasters eram a banda da casa de Coxsone Dodd nos anos 1950s e 1960s,antes da ascensão do The Skatalites.


Os Rude Boys

Eram compostos por jovens negros marginalizados e que adoravam filmes de gangsters, talvez por haver alguma identificação entre os rudies e os personagens dos filmes, na questão da marginalidade. A estética dos gangsters inspirou também o visual dos rude boys, e estes saíam as ruas e apresentações de grupos e cantores(as) de ska usando óculos escuros, chapéus de feltro, sapatos, ternos geralmente pretos e calças tipo "pegando siri". As letras abordavam temas como a insastifação social, a discriminação e a vida dura da classe trabalhadora, mas também falavam de diversão, festas, situações cômicas, e até filmes.

Nos anos 60, grandes levas de imigrantes das ex-colonias britânicas nas Antilhas se dirigiram à velha metrópole para tentar a sorte, e assim como no seu país de origem, esses imigrantes iam morar nos bairros mais pobres das grandes cidades inglesas e ocupar os empregos mais mal remunerados, realizando as tarefas mais penosas. Mas para os momentos de descontração ou para falar de suas dificuldades, os imigrantes antilhanos também levaram seus ritmos, entre eles o ska.

Nesse período, nas ilhas britânicas, o ska era tocado em clubes clandestinos, freqüentados é claro, por rude boys. A convivência entre jovens negros das turmas de rude boys com jovens brancos das turmas de mods e depois de skins ajudou a disseminar o ska para além da comunidade antilhana, mas ainda sem sair dos subúrbios.

Nos anos 60 o ska não chegou a ser um ritmo para as massas, ficou restrito ao underground, foram poucos os músicos e cantores(as) ligados ao ska a fazerem algum sucesso, como Desmond Dekker com a musica "Israelites" em 1969. Mas mesmo no underground havia um público juvenil que estimulou o surgimento de diversos selos especializados em ska, a maioria no entanto, efêmeros. Outra coisa curiosa, os cantores(as) de ska nas suas gravações na Inglaterra eram, na maioria das vezes, acompanhados por músicos brancos, dando um caráter mestiço ao ska.


Anos 70 - O Ostracismo

Com a chegada da década de 70, surge o rocksteady, ritmo que amansava os passos do ska, fazendo com que o mesmo perdesse muito da sua popularidade. Mais tarde, o rocksteady seria readaptado pelo produtor Lee Perry e rebatizado como reggae. Com o enorme sucesso comercial do reggae, aliado à um possível desgaste criativo, o ska praticamente desapareceu. Mas no final dos anos 70 o ska ressurgiria glorioso na Inglaterra, com a geração 2Tone.

(continua)

2 comentários:

fabricio disse...

Muito boa essa definiçao....
e depois todo mundo acha que skinhead é nazistinha nada a ver
parabens pelo bolg ai

Dida disse...

Valeu !
Pois é Fabrício, ainda tem gente que mistura muito as bolas com o termo skinhead.
Aguarde a continuação do texto e aproveite os sons !

Abssss